Estudo da esteatose hepática ou adiposa.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

A doença hepática gordurosa não-alcoólica:

Abstract

BACKGROUND AND PURPOSE: Nonalcoholic fatty liver disease is frequently associated with type 2 diabetes mellitus, obesity, and dyslipidemia, but some patients have normal glucose tolerance or normal weight. We tested the hypothesis that there is an association between nonalcoholic fatty liver disease and insulin resistance that is independent of diabetes and obesity.

SUBJECTS AND METHODS: We measured anthropometric and metabolic variables in 46 patients with chronically elevated serum aminotransferase levels, “bright liver” on ultrasound scan, and normal glucose tolerance. Indexes of insulin resistance and secretion were determined using the homeostasis model assessment method. They were compared with 92 normal subjects who were matched for age and sex.

RESULTS: Patients with nonalcoholic fatty liver disease were characterized by fasting and glucose-induced hyperinsulinemia, insulin resistance, postload hypoglycemia, and hypertriglyceridemia. Insulin resistance [odds ratio (OR) = 15 per percent increase, 95% confidence interval (CI): 3.0 to 70], fasting triglyceride level (OR = 3.1 per mmol/liter increase, 95% CI: 1.1 to 8.9), 180-minute blood glucose level (OR = 4.3 per mmol/liter decrease, 95% CI: 1.6 to 12), and average insulin concentration in response to oral glucose (OR = 3.0 per 100 pmol/liter increase, 95% CI: 1.5 to 6.2) were independently associated with nonalcoholic fatty liver disease. The exclusion of overweight and obese subjects did not change the results.

CONCLUSION: Nonalcoholic fatty liver disease is associated with insulin resistance and hyperinsulinemia even in lean subjects with normal glucose tolerance. Genetic factors that reduce insulin sensitivity and increase serum triglyceride levels may be responsible for its development.




Abstract
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A doença hepática gordurosa não-alcoólica é frequentemente associada com diabetes mellitus tipo 2, obesidade e dislipidemia, mas alguns pacientes têm de tolerância à glicose normais ou com peso normal. Nós testamos a hipótese de que há uma associação entre a doença hepática não-alcoólica e resistência à insulina que é independente de diabetes e obesidade.
CASUÍSTICA E MÉTODOS: Nós medimos as variáveis antropométricas e metabólicas em 46 pacientes com níveis cronicamente elevados de soro aminotransferase, "fígado brilhante" sobre a ultra-sonografia, e tolerância à glicose normal. Os índices de resistência à insulina e secreção foram determinados utilizando o método de avaliação da homeostase modelo. Eles foram comparados com 92 indivíduos normais que foram pareados por idade e sexo.
RESULTADOS: Os pacientes com doença hepática não-alcoólica foram caracterizados por jejum e glicose induzidas hiperinsulinemia, resistência à insulina hipoglicemia pós-carga, e hipertrigliceridemia. Resistência à insulina [odds ratio (OR) = 15 por cento de aumento, 95% intervalo de confiança (IC): 3,0 a 70], o nível de triglicérides em jejum (OR = 3,1 por mmol / litro aumento, 95% CI: 1,1 a 8,9), 180 minuto nível de glicose no sangue (OR = 4,3 por mmol / diminuição litros, 95% CI: 1,6 a 12), ea concentração média de insulina em resposta à glicose oral (OR = 3,0 por 100 pmol / aumento de litros, 95% CI: 1,5 a 6,2) foram independentemente associados com doença hepática não-alcoólica. A exclusão de indivíduos com sobrepeso e obesos não alterou os resultados.
CONCLUSÃO: A doença hepática gordurosa não-alcoólica é associada com resistência à insulina e hiperinsulinemia, mesmo em indivíduos magros, com tolerância à glicose normal. Os fatores genéticos que reduzem a sensibilidade à insulina e aumentar os níveis séricos de triglicérides podem ser responsáveis por seu desenvolvimento.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Carregando...